9 de fev de 2009

aula de Ciência

INTRODUÇÃO
A seqüência linear de alimentação, desde os produtores até os diversos consumidores, recebe o
nome de CADEIA ALIMENTAR.
As relações alimentares em um ecossistema não são simples cadeias alimentares. Normalmente
cada nível trófico é representado por diversas espécies, podendo cada qual alimentar-se de or-
ganismos que podem pertencer a dois ou mais níveis tróficos. Ao conjunto das intrincadas
relações alimentares entre populações de um ecossistema dá-se o nome de TEIA ALIMENTAR.
Com o experimento a seguir, você entenderá melhor os conceitos de Cadeias e Teias Alimen-
tares.
MATERIAL
viseiras coloridas
apito
fichas dos componentes da cadeia
PROCEDIMENTO
1. JOGO DA CADEIA
Cada grupo receberá 5 jogos de fichas para a montagem das cadeias alimentares .Nas fichas
os grupos encontrarão dados para que as cadeias possam ser montadas.
Cada grupo terá o tempo de 15 min para montar as cadeias.
Utilizando animais que você conhece, construa pelo menos 2 cadeias alimentares
1.
2.
2. DRAMATIZAÇÃO: PRESA E PREDADOR
• O experimento consiste na dramatização de uma cadeia alimentar onde encontramos PLAN-
TAS -> PREAS -> JAGUATIRICAS. Para que o jogo possa ser realizado, os alunos deverão
seguir as orientações do professor.
Com os dados da tabela do professor preencha a tabela abaixo:
GERAÇÕES PLANTAS PREÁS JAGUATIRICAS









10º

PERGUNTAS
1. O que aconteceu com as plantas, preás e jaguatiricas ao longo das gerações? Observe a tabela.
Relacione esta dramatização com o que ocorre na natureza.

CRUZADAS

1. Ser vivo que se alimenta de outra espécie.
2. Nome dado aos seres que causam algum prejuízo às plantações, predando ou parasitando-as.
3. Conjunto de cadeias alimentares ligadas entre si.
4. Caminho que segue o alimento desde os produtores até os decompositores, passando pelos consumidores.
5. Ser vivo que serve de alimento para outra espécie. 6. Inimigo natural de uma praga, utilizada pare combatê-la. 7. Técnica que consiste em combater pragas através de inimigos naturais.

Procedimento 2. Dramatização: Presa e Predador
O experimento consiste em uma dramatização de uma cadeia alimentar onde encontramos PLANTAS -> PREÁS -> JAGUATIRICAS.
A dramatização deverá ser realizada no pátio da escola ou em lugar similar. A classe deverá ser dividida em 3 grupos (com o mesmo número de componentes) para a rodada inicial.
Um grupo representará plantas, o outro preás e o último jaguatiricas. Se o número de alunos não for divisível por três, o excedente deverá ficar no grupo das plantas.
•O grupo que representará as JAGUATIRICAS deverá ser identificado com VISEIRAS ROSA, o dos PREÁS com AZUIS e o das PLANTAS com VERDES.

As plantas ficarão espalha-
das pelo pátio, os preás
deverão ser dispostos em
circulo ficando distantes
1 m das jaguatiricas, que
também estarão dispostas
em circulo, ou seja, os
preás e as jaguatiricas de-
verão ser dispostas em
círculos concêntricos de
forma que as jaguatiricas
fiquem no círculo interno.
O jogo terá 10 rodadas.
Para iniciar uma rodada o
professor deverá apitar 1
vez e para terminá-la, 2
vezes.

Cada rodada terá o tempo de 3 seg.
A cada rodada os alunos deverão ser novamente distribuídos para formar a geração seguinte; os dados das rodadas (número de componentes de cada grupo) deverão ser anotados pelo professor na tabela.





Regras e objetivos PLANTAS:


• As "plantas" deverão ficar espalhadas pelo pátio da escola e permanecer nos seus lugares . Quando apanhadas pelos preás, deverão permanecer no local onde foram apanhadas até a próxima rodada e depois deverão ir para o grupo dos preás.
PREÁS:
• Cada "preá" deve procurar apanhar uma "planta" e evitar ser capturado por uma "jaguatirica". A única defesa possível dos "preás" é abaixarse. Abaixandose, estarão escondidos das "jaguatiricas". Quando apanhados por uma jaguatirica, os preás deverão permanecer no local onde foram capturados até o término da rodada. Na rodada seguinte, estes preás passarão a ser jaguatiricas.
JAGUATIRICAS:
As jaguatiricas deverão tentar capturar um preá.
• Os preás e as jaguatiricas que não conseguirem alimento voltarão na rodada seguinte, como plantas. EXPLICAÇÃO: Os animais que não conseguiram alimento morreram de fome. Seus corpos foram decompostos e deles só restaram os sais minerais que as plantas incorporam. Por isso voltam como plantas.
• Os "preás" e "jaguatiricas" que conseguiram alimento continuarão respectivamente, como "preás" e "jaguatiricas". EXPLICAÇÃO: Preás e jaguatiricas que conseguem alimentos são bem sucedidos. Isto permite que se mantenham saudáveis e se reproduzam, garantindo novos indivíduos pare a geração seguinte. Por isso, os alunos que representam estes animais continuam, respectivamente, como preás e jaguatiricas.
• As "plantas" que foram capturadas voltam como "preás". Os "preás" capturados voltam como "jaguatiricas". EXPLICAÇÃO: Quando um ser vivo serve de alimento pare outro, as substâncias que formam seu corpo passam a fazer parte desse outro ser. Por isso as plantas capturadas pelos preás voltam como preás e os preás capturados pelas jaguatiricas voltam como jaguatiricas.


Objetivo Através do jogo, com base na cadeia alimentar e através da tabela e do gráfico, o aluno terá noções da dinâmica de populações.

Duração 10 min



SUGESTÃO:Dramatização - Controle Biológico
Este experimento consiste em uma dramatização que deverá ser realizada no pátio da escola ou em lugar similar.
Procedimento • A classe deverá ser dividida em 3 grupos (com o mesmo número de componentes). Se o número de alunos não for divisível por três, o excedente deverá ficar no grupo das plantas.
• O 1° grupo representará a PLANTAÇÃO e deverá se identificado por uma VISEIRA VERDE.
• O 2° grupo representará o CONTROLADOR BIOLÓGICO (predador da praga) e deverá ser identificado por uma VISEIRA AZUL.
• O 3° grupo representará a praga que deverá ser identificado por uma VISEIRA ROSA.

Os grupos deverão ser
dispostos paralelamente, dis-
tantes 2 m um do outro. A
posição central deverá ser
ocupada pelo grupo dos con-
troladores. As posições
laterais deverão ser ocupadas
pelos outros grupos, ou seja, o
grupo das plantas de um lado
e o das pragas do outro (ver
esquema ao lado).





Regras do Jogo Para iniciar a rodada, o professor deverá apitar uma vez, após 3 seg de verá apitar 2 vezes para conclui-la.
• O jogo deverá ter 5 rodadas.
• As pragas deverão tentar capturar uma planta e os controladores biológicos deverão tentar impedir que isso aconteça, capturando a praga antes que esta consiga chegar até as plantas.
• A seguir, as regras e objetivos de cada grupo:
PLANTAS:
• As plantas deverão permanecer em seus lugares. Quando apanhadas pelas pragas, elas passarão também a ser pragas, voltando, juntamente com seu captor, para o lado delas.
PRAGAS:
• As pragas deverão atravessar a região ocupada pelos controladores, evitando ser capturadas por eles. O objetivo das pragas é capturar as plantas. Quando uma praga capturar uma planta, esta deverá ficar segurando a mesma no local onde a capturou esperando o término da rodada. Quando a rodada terminar, as pragas deverão levar as plantas capturadas para o seu grupo, pois estas passarão também a ser pragas.

CONTROLADORES:
• Os controladores deverão tentar apanhar as pragas, evitando que estas capturem as plantas, podendo para isso se deslocarem para capturálas. Quando o controlador apanhar uma praga, ele deverá permanecer no local onde a capturou esperando o término da rodada. Quando a rodada terminar, os controladores deverão levar as pragas capturadas para o grupo dos controladores, pois estas passarão também a ser controladores.
• Após 5 rodadas, o professor deverá contar o número de plantas e o de pragas.
• Se o número de plantas for maior que o de pragas, isso significa que os controladores são eficientes e a produtividade agrícola tenderá a aumentar.
• Se, por outro lado, o número de pragas for maior que o número de plantas, isso significa que o controlador não está sendo eficiente e a produtividade agrícola tenderá a diminuir.


Objetivo Através do jogo e com base na cadeia alimentar, o aluno deverá conseguir entender o que é e qual a importância de um controle biológico.
Recomendações • O professor deverá, antes de se iniciar o jogo, explicar para todos os alunos as regras do mesmo.
• Para facilitar a compreensão por parte dos alunos, o professor deverá mostrar a cadeia alimentar referente ao jogo ou seja:
PLANTAS -> PRAGAS -> CONTROLADORES BIOLÓGiCOS.

SUGESTÃO: Se no final das 5 rodadas o n° de pragas for maior que o inicial, uma sugestão ao professor é que mude o grupo de alunos que representaram os controladores por um outro grupo, para ver se estes controladores são mais "eficientes" que o grupo anterior.

Definição: O controle biológico é uma técnica utilizada para combater espécies que nos são nocivas, reduzindo os prejuízos causados por elas. Comente, este método consiste em introduzir no ecossistema um inimigo natural (predador ou parasita) da espécie nociva, para manter a densidade populacional dessa espécie em níveis compatíveis com os recursos do meio ambiente. Quando bem planejado, o controle biológico acarreta evidentes vantagens em relação ao uso de agentes químicos, uma vez que não polui o ambiente e não causa desequilíbrios biológicos.

Duração 10 min


























MATERIAL
fósforo
1 copo
1 pegador
1 1amparina
1 vidrinho de remédio, vazio, trazido de casa
água
Cuidado: Verifique se o vidrinho está bem
limpo. Não pode conter resto de remédio!










PROCEDIMENTO
Coloque a lamparina em sua mesa e acenda-a.
Segure o vidrinho com o pegador e aqueça-o.
A seguir, mergulhe-o rapidamente no copo com água fria




PERGUNTAS
1. 0 que aconteceu com o vidrinho?
2. Por quê ?
3. 0 que esta experiência tem a ver com as rochas ?











INTRODUÇÃO

Uma das propriedades do solo, importante para a agricultura, é a sua
permeabilidade, que você vai estudar nesta experiência.




















MATERIAL

cada equipe deve trazer jornal velho
8 copinhos
4 suportes
4 funis
1 espátula
areia- copo ocre
argila copo cinza escuro
¸ húmus copo marrom
calcário copo cinza claro
água





PROCEDIMENTO
Forre a carteira com folha de jornal;
Coloque um funil sobre cada suporte;
Usando a espátula encha cada funil, até a
metade, com um tipo de componente do solo;
Encha de água os 4 copinhos e despeje-a
vagarosamente e ao mesmo tempo nos funis
PERGUNTAS
1.Onde foi mais difícil a água passar?
2.Examine com atenção cada componente do solo. Anote as diferenças. Por quê a água não escoa igualmente em todos os solos?
3. Limpe o funil que continha húmus, faça uma mistura de argila com areia em um copinho e coloque neste funil. Compare a permeabilidade desta mistura com a permeabilidade da areia e da argila separadas.
4. Em geral, um bom solo para a agricultura não pode ter uma permeabilidade muito grande nem muito pequena. Porquê?



INTRODUÇÃO
Você já viu o que compõe o solo. Vamos ver se todos esses
componentes estão presentes no solo de sua região, ou
melhor, na terra do pátio da escola.


MATERIAL

Cada equipe deve trazer jornal velho.
1 lamparina
1 pá
2 copos
1 pedaço de pano
Ácido clorídrico
Vidro de relógio
1 espátula
Fósforo
Água
Terra de jardim (pegar no pátio da escola).
PROCEDIMENTO-PERGUNTAS

Forre a carteira com folhas de jornal.
Pegue um pouco de terra com a espátula e coloque em um copo. Despeje água sobre ela e mexa. Observe com muita
atenção.
1) 0 que aconteceu? Qual dos componentes existentes na terra está saindo?
Pegue um pouco de terra seca e coloque na pá (ver figure). Segure a pá e aqueça-a com a lamparina. Coloque o vidro de
relógio sobre a terra que está sendo aquecida, sem encostar, e observe.
2) 0 que aconteceu no vidro? Por quê?
Continuando a aquecer essa terra você pode observar que ela muda de cor e sai fumaça.
3) Que componente da terra esta sendo queimado?
Apague a lamparina, espere 5 minutos, e nesta terra que estava sendo aquecida, pingue algumas gotas de ácido e observe.
Se você ver borbulhar ou ouvir um pequeno "chiado" significa que o ácido está reagindo com um outro componente do
solo. (Se não houver reação é porque esse componente existe em quantidade muito pequena).
4) Que elemento é esse que reage com o ácido?
Volte a analisar a primeira experiência em que, mexendo-se a terra na água esta fica suja.
5) Qual dos componentes do solo é capaz de misturar-se à água deixando-a "suja"?
Usando um pedaço de pano filtre essa água suja em um copo. Continue pondo água limpa até que toda a sujeira tenha sido carregada através do pano.
6) 0 que fica retido no pano?
FAÇA EM CASA - ADUBO ORGÂNICO

Você poderá formar um adubo caseiro na sua própria escola, chácara, sítio ou mesmo em sua própria casa ou apartamento.
Se tiver um local de terra onde possa fazer um buraco mais ou menos fundo, melhor, se não tiver, uma lata de 20 litros
também servirá.
MATERIAL

2 medidas (caixa ou lata) de pó de serragem;
2 medidas de terra;
1 1/2 medida de lixo orgânico picado (restos de comida, casca de frutas e ovos, restos de feira, etc...).
PROCEDIMENTO

Misturar tudo dentro da cova ou da lata.
Cobrir com 5 cm de terra, mas sem tampa e protegida de muita chuva e sol. 0 lugar ideal é debaixo das árvores.
Descansar 30 dias,
Revolver e umedecer se preciso.
Esperar mais 30 dias e revolver novamente, umedecer se preciso.
Trinta dias depois (90 ao todo), estará pronto um ótimo composto orgânico para vasos, hortas ou jardins. Não tem cheiro, nem junta moscas.


MATERIAL
1 tubinho em L com rolha e funil, montados
1 erlenmeyer
1 copinho
1 vela
fósforo
água





PROCEDIMENTO - PERGUNTAS
Monte a experiência conforme o desenho. Tampe bem a saída do tubo com o dedo.
Coloque água no funil. Não solte o dedo (Figura A)
1. Onde está a água?
Agora solte o dedo
2. O que aconteceu?
3. O que estava no erlenmeyer e não deixava a água entrar?
Agora acenda a vela e segure-a. A chama deverá estar distante do bico menos de 1 cm, estando o pavio na "mira" do
tubinho. Em seguida despeje a água no funil e veja o que acontece (Figure B)
4. De onde vem o ar que soprou a vela?
O ar é uma forma de matéria e é invisível. No entanto pudemos provar que existe. Percebemos que a matéria pode existir sem ser vista.
5. Você poderia dar algum outro exemplo que mostra a existência do ar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que é ser Pedagogo.

Há algum tempinho que acabei a faculdade de pedagogia, pela qual passei três anos da minha vida tentando entender à psicologia infantil, trabalhei alguns meses em cima da minha monografia, na qual, tinha o tema: A Psicanálise dos Contos de Fadas na Educação Infantil, não foi muito fácil, mais depois de três anos sem ter um pouco de vida pessoal e sem tempo estou aqui formada tentando algo que possa ser útil para minha formação.
Muita duvida tive, ao longo de minha formação, entre ela o papel do professor na vida de seu aluno pela qual reservo um pouco do meu tempo para trabalhar com vocês. Muitos me perguntam se vou lecionar aula, digo que não sei se um dia chegarei a enfrentar uma sala de aula, me perguntam então o porquê fiz o curso de pedagogia, descobri que o curso pelo qual sou formada me reserva muito mais do que uma simples sala de aula.
Voltando ao papel do professor agora sendo Pedagogo, para que e o porquê ter, ser um pedagogo, profissão que necessita de amor, respeito e responsabilidade, tendo como base os quatros pilares da educação: aprender a aprender, aprender a ser, aprender a fazer e aprender a conviver, servindo de base para a pedagogia.
O pedagogo precisa sempre estar atualizado, não se pode formar e estacionar em uma escola hoje ele precisa muito mais do que pegar na mão do aluno e ajudar ele a escrever, tem se como objetivo formar um cidadão críticos capazes de mudar a sociedade pela qual vivemos, tem que estar sempre aprendendo seja com seu aluno, com seu companheiro de trabalho, com a família ou com o amigo, apesar de que estes pilares da educação servem de base para tudo que se tem hoje, umas das causas pela qual a profissão de pedagogo tem aberto novos caminhos.
Ser pedagogo não significa só atuar em escola ou sala de aulas, tem que ser muito mais além, acima de tudo, precisa estar acompanhando tudo a nossa volta a historia muda a cada dia, não deixando para traz nossas raízes mais sim atualizando nossos conhecimentos e aprendendo a cada dia um novo jeito de compreender a vida.
Pedagogo vem de Pedagogia que é a ciência ou disciplina cujo objetivo é a reflexão, ordenação, a sistematização e a crítica do processo educativo, sua palavra tem origem na Grécia antiga, paidós (criança) e agogé (condução). O profissional cuja formação é a Pedagogia, no Brasil é uma graduação da categoria Licenciatura ou Gestão Escolar (administração escolar, orientação pedagógica e coordenação educacional). Devido a sua abrangência, a Pedagogia engloba diversas disciplinas, que podem ser reunidas em três grupos básicos: Disciplinas filosóficas, Disciplinas científicas e Disciplinas técnico-pedagógicas.

Minha lista de blogs

e-mail para contato

Entre e me ajudam

Mensagens ao Vivo e Telemensagens

Educar é um ato de amor

http://www.facebook.com/platform

Entre aqui