13 de mar de 2011

O NOVO PROFESSOR


Eu tinha apenas 12 anos quando o conheci.Era o início de mais um ano letivo e estava ansiosa para conhecer a nova turma.Eu era boba e inocente.
Chegando a sala de aula,atrasada e meio atrapalhada como de costume.Eu uma menina loira,branquinha de cabelos cacheados e fofinha,sentia-me como o patinho feio entre a classe.
Apesar dos outros alunos terem uma certa rejeição por mim, os professores me adoravam e me tinham como uma anjinha,até hoje não compreendo o porque acho que muitos sentiam inveja de uma garota bonita e inteligente que chamava atenção por onde passava e era sempre a predileta.
O primeiro dia como de costume só teve uma breve apresentação entre professores e alunos,mas havia faltado um,o professor de português que no dia seguinte viríamos a conhecê-lo.Era chegado então o dia seguinte eu iria conhecer a minha desventura sem saber o que o destino havia me reservado,numa mudança de fase tumultuada,marcada por muitas fofocas e confusões.
O novo professor não era nenhum galã de cinema mas me chamou atenção desde a primeira vez que o vi.Meus olhos fitaram nos seus olhos profundamente negros como se nada mais houvesse ao meu redor.
Eu tinha apenas doze anos na época,estava na quinta-série,era meiga e carente pois acabara de deixar de ser a filha casula.
Olhei o intensamente sem saber o estava acontecendo comigo,ele usava uma camisa branca de linho com o desenho de um barco,o qual em meus delírios navegava sem saber para onde um lugar muito lindo o qual até hoje não sei onde fica.
No começo achei que era só carência mas o tempo foi passando e eu já não podia controlar o sentimento me sentindo cada dia mais envolvida e nem sequer consegui disfarçar.
Um dia,o professor pedira que nos procurássemos uma poesia e o entrega se.Eu em todo meu deslumbre por ele que era muito sábio,procurei empolgada a poesia nos livros de meu avô,quando encontrei algo indevido porém perfeito para mim.A poesia chamava-se “o novo professor”só me recordo o trecho que falava:”o novo professor se acha tão esperto mas é um bobão,se fosse tão esperto assim saberia que tem alguém que o ama em segredo”.
Entreguei a poesia e ele logo ficou sem jeito e eu ainda mais por conseguir o que eu tanto desejava,que ele me notasse.Uma coleguinha peralta aproximou-se da mesa e também viu o que eu havia lhe entregado tratou de espalhar aos outros alunos e logo o colégio inteiro ficou sabendo.Mas eu era uma criança mal começara a nascer seios além do que ninguém tinha provas.Então passei a ser mais discreta.
Até que finalmente chegou o tão esperado fim do ano não teria mais que vê-lo todos os dias me torturando para que eu me controlasse,mas eu queria vê-lo ainda pelos corredores do colégio onde haviam tanta gente que ninguém me notaria,mas não foi bem assim ele havia sumido e eu o esquecido como se nunca houvesse o visto antes.
Passando pela quinta-série de uma maneira rápida e nada importante no sentido em que não acontecera nada de novo em meu coração.
Com a chegada da sexta-série,no meio do ano ES que me aparece o professor.
Meu coração bateu depressa,o pulso estava acelerado,o olhar fitado naquele homem que era tão sábio e que eu agora aos 13 anos tinha a esperança de me tornar um dia como ele,sem ao menos saber como ele realmente era.
Ele voltara a dar aula para mim e novamente eu não controlava o meu olhar e meus pensamentos,os coleguinhas que desta vez eram maiores e mais maldosos ficavam me instigando.
Era 12 de julho de 2003,quando descobri que o aniversário do meu amado estava muito próximo mas precisamente no dia seguinte,resolvi liderar uma festa surpresa me comprometi em fazem o bolo e pedi que os outro me ajudasse com o restante.Eu não sábia fazer bolo e era pobre,mas pedi e insisti a minha mãe que arranjasse um bolo.Disse para ela que era para uma professora querida,pois eu não poderia dizer para quem realmente era o masculino seria motivo de questionamentos .Ela me deu o dinheiro e encomendei o bolo na padaria.
Na manhã seguinte chegando ao colégio meio tarde todos já estavam na sala quando o professor entrou na sala chamei uma amiga e sai para buscar o bolo na cozinha.Já do lado de fora da sala pedi para que ela acendesse as velas que nem me lembro ao certo quantas eram pois não sabíamos a idade dele.Ela acendeu e foi na frente,logo atrás eu entrei com o bolo puxando o parabéns.
Ele ficou grato pela surpresa,mas acho que pensou ser apenas carinho de aluna e professor não lembrava-se da primeira vez em convivemos.
Durante a festa,ele estava de pé fui abraçá-lo,dei um abraço forte e terno.Meus pequeninos braços para cima o abraçando num momento marcante e diferenciado,logo vieram outros alunos seguindo meus passos abraçá-lo.
A festa apesar de simples foi ótima,mas como tudo que e bom acabou menos os comentários que só estariam começando pois eu já não poderia disfarçar meus olhares,os sinais de que o amava ele havia percebido e me dava esperanças as quais não me lembro ao certo pois para meu coração de estudante tudo era esperança.
No caminho de casa descobri que ele morava na mesma quadra que eu.Conversávamos muito,
ele me fazia elogios mas ao mesmo tempo colocando empecilhos entre nos,eu com os ouvidos de quem ama ouvia apenas os elogios,os quais ainda me adoçam a boca até hoje.
Pedi a ele que fizesse uma dedicatória em minha agenda e para minha surpresa ele aceitou pior ainda alimentou minhas esperanças escrevendo uma poesia de LUÌZ DE CAMÕES cuja ainda me recordo: Amor é fogo que arde sem se ver;É ferida que dói e não se sente;É um contentamento descontente;É dor que desatina sem doer.
Também falou um pouco de minhas qualidades e que gostava muito de mim deve ter falado algo a mais não me recordo depois assinou.
Eu fiquei ainda mais deslumbrada por meu ídolo.Tão sábio,gentil,amoroso,educado e extremamente correto.
Resolvi escrever uma carta de amor o que era sensação nesta época.Não lembro bem o dizia,só sei que não era copiado mas o que eu sentia.Entreguei a ele no fim do nosso percurso diário.
Eu era extremamente sedutora e mais inocente ainda.
Todos já desconfiavam o que estava havendo,mas nada faziam contra meu inocente amor.Porém,inesperadamente aconteceu algo errado que complicou a vida de nós três,Eu,Ele e sua Esposa pois ele era casado e no começo eu não sabia o que já era de se esperar por sua idade,mas eu o amava inocentemente e nada do que fizesse arrancava o do meu coração.A mulher dele era professora no mesmo colégio,porém a noite,ela chorou durante a aula.
Este foi o estopim para que o inferno se fizesse na terra para mim.O vice-diretor me chamou em sua sala e me deu um sermão,em que algumas palavras ficarão em minha memória:Entenda que o amor que você senti esta em uma escala,ele é vivido e esta no topo e você no início,para que isso desse certo entre vocês os dois teriam que caminhar em direção ao outro,mas ele tem muito a perder e não esta disposto a trocar seu casamento de muitos anos por uma criança.Você é menor de idade e seus pais é quem tomam as decisões por você.Olhe para este giz,uma vez quebrado não tem mais volta.Vou te contar uma coisa que mais ninguém sabe.Antes de ser vice-diretor eu era professor e uma aluna se despiu para mim,eu tive relações sexuais com ela e isso gerou um filho o qual ela abortou sem me comunicar só fiquei sabendo muito tempo depois,esse é meu maior desgosto.Um dia quando a encontrei no banco ela olhou no fundo dos meus olhos e disse que o ar havia sido contaminado.Só entre nós,o professor disse ter te chamado enquanto transava com sua mulher.É difícil não enlouquecer.Me prometa que o deixara em paz.Mulher é só um saco de guardar urina e esperma.acho que nem preciso dizer a raiva e nojo que me deu dessa criatura ignorante.
Eu prometi,mas quando acabou a aula o professor foi para casa por um caminho diferente eu ainda cheguei a vê-lo de longe e corri para que eu o alcança se,ele andava de presa porém eu mais jovem consegui e perguntei o porque ele havia feito toda essa confusão,ele disse que não havia sido sua culpa foram os comentário e que era melhor eu me afastar para que não piorasse as coisas.Fiquei com o coração partido,paralisada enquanto meu amor afastava-se de mim,e quase me afoguei nas minhas lágrimas ao chegar em casa.
No dia seguinte fui para a aula como se nada tivesse acontecido,depois de alguns minutos me chamaram na diretória,quando cheguei La para minha triste surpresa haviam chamado meu avô e o explicaram o que havia acontecido,mostraram-lhe até a carta que eu havia escrito como prova do meu crime de amor punível.
Eu sentada na cadeira de réu, esta guinada,paralisada só sabia chorar não conseguia me defender sufocando com meu choro,a garganta fechada não ouvia ninguém mas além de mim.Meu mundo desabara de uma vez por todas e quando finalmente todos se foram só restou eu e o vice-diretor ele pediu que me acalmasse e perguntou-me o que havia me dado esperanças,falei sobre a dedicatória que o professor havia feito para mim,ele pediu para que eu repetisse,mas eu não o poderia eu o amava e não queria prejudicá-lo mais uma vez tentei falar mas a voz não saia me deixando ainda mais desesperada.
Ele me avisou que se os comentário não acabassem este acontecimento mancharia minha ficha escolar.
O vice-diretor me olhava de qual maneira a me engolir com os olhos nesse momento que ele me via como a tal garota de sua história e que se fosse com ele o faria tudo igual e o desejo daquele homem só aumentava a cada dia fazendo com que ele implicasse comigo,eu tentava fugir de todos.Um dia quando estava próximo ao colégio ele me viu e reclamou a ausência da minha blusa de farda e foi então que tive a certeza do seu desejo por mim.
O meu professor que estava apenas substituindo apenas substituindo uma professora em suas voltou a ensinar apenas de manhã.Apesar de afastada fiquei desesperada em pensar que não o veria mais,quando surgiu um projeto que ensinaria xadrez a quem se interessassem de manhã.Era a oportunidade perfeita para mim,pois os alunos não falariam mias do que aconteceu e eu ainda poderia vê-lo.Eu ia ao colégio todos os dias pela manhã sem prestar atenção as aulas,só para vê-lo,eu queria ficar bonita para ele.Desenhava minhas próprias roupas e as costurava.No final do ano nos separamos mais uma vez.
Desfiz-me em lágrimas. No natal e no ano novo assim como nos outros anos.
No ano seguinte minhas lagrimas de tristeza se transformariam em alegria. Ele voltara a ser meu professor de sétima – serie porem desta vez permanente.Era tudo que eu havia desejado eu não era a mesma ,agora com 14 anos me tornara uma adolescente rebelde que o amava mas já conseguia ter uma vida normal numa tentativa de fuga eu quase não freqüentava as aulas dele e quando estava na sala de aula eu não parava de conversar,me maquiava,ria,acho que era tudo para chamar atenção e conseguia.
Faltava aula algumas vezes para ficar com meu namorado já que ele não ficara comigo.Namorei vários garotos com isso ia passando o tempo esquecendo minha dor. Nesse tempo ele já me conhecia completamente e eu a ele, não havia nada que eu não soubesse responder sobre ele.
E assim o ano foi chegando ao final quando todos já haviam pego suas notas fui ate a sala pegar as minhas.Eu estava com jaqueta desabotoada deixando minha blusa transparente aparecer.
Ele com toda doçura falou que passei por pouco na matéria dele já que eu fugia.Olhando no fundo de seus olhos com o frio na barriga e o suor gelado.
Disse:As vezes faço o que quero e as vezes o que tenho que fazer.EU TE AMO.
E sai da sala com tremula,com a sensação de dever cumprido.
No fim do ano mais tristeza e embriaguez.
No meu ultimo ano naquele colégio,com quase 15 anos esta na oitava – serie e para minha decepção e alivio ele já não era meu professor.Mas eu ainda podia vê-lo pelos corredores ao disparar do meu coração.
Eu estava mais madura e equilibrada mas ainda rebelde como toda adolescente.
No meu aniversario de 15 anos meus amigos fizeram uma pequena comemoração para mim.Eu tomava bebida alcoólica como se estivesse tomando meu amado,ria com os amigos e chorava por dentro,mais um ano sem meu ídolo.
Nesta época eu participava de tudo na escola, só para ficar o Maximo de tempo possível perto dele.
E um dia quando fui à diretoria por um motivo relevante. Lá estava ela, a esposa do professor, sentada de costas para mim e eu mal sabia a diretora me chamou pelo nome e ela num susto me olhou abalada e ligeiramente se recompôs.
Perguntei: É seu aniversario segunda-feira?
Ela respondeu que sim e perguntou como eu sabia?
Da mesma forma que soube que era ela, respondi: Eu sonhei, logo depois sai da sala.
Chegando ao pátio algumas alunas me relataram a presença dela e eu sutilmente disse que não sentia mais nada pelo professor e era ate amiga da mulher dele. Naturalmente acharam que eu mentia e para provar prometi dar um beijo nela quando fosse embora.
Assim o fiz, ela quase cai de susto quando a parabenizei pelo seu aniversario e beijei-a.
Com o passar do tempo, já na feira de ciências uma colega me apresentou uma garota da mesma idade que eu que também havia se apaixonado por um professor.
Ela disse, mas isso foi quando eu era criança tinha 12 anos, respondi: eu também só que ainda o amo.
Ela ficou surpresa e eu me perguntando por que eu havia dito isso já que poderia trazer a tona novamente aquela confusão toda.
Nesta feira eu deveria apresentar o uso correto do preservativo masculino.
O coração disparou o suor escore frio, a garganta travada e logo era minha vez, meu amor era alguém experiente como explicar algo que eu mal sabia, mas fiz minha parte.
Ainda no mesmo ano conheci a Irmã dele e sempre íamos juntas para casa, conversávamos bastante, nos dávamos super bem, mas ela não demonstrava saber do meu amor por seu irmão.
Um dia o filho do professor, que devia ter uns 20 anos foi ao colégio. Minha Irmã ficou louca para namorá-lo e quando ela me disse que era filho do meu amor tratei logo de conseguir telefone dele e passei a ela.
Sempre que eu podia ligava só para ouvir a voz do meu ídolo muitas dessas vezes eu nem sequer falava de tão nervosa. Em uma destas vezes a mulher dele atendeu e tivemos uma conversa franca sobre os fatos.
Eu sempre sonhava com ele torcia para encontrá-lo na rua, mas quando o avistava fugia.
No ano seguinte fui estudar no centro, eu agora com 16 anos no 1 grau,o via poucas vezes e arranjava qualquer desculpa para voltar ao meu colégio antigo para vê-lo.
Um dia ao passar por ele na rua me cumprimentou baixinho e em resposta,também baixinho,disse:Eu Te Amo.
Minha irmã conseguiu ficar com o filho mais velho dele e o mais novo ficou louco para ficar comigo quando me viu. Que sem vergonha eu era por ir junto com minha irmã na casa do namorado dela. Mas não passávamos da porta pois também era a casa daquele homem.Eu e o filho dele éramos grandes amigos.
Só o que não sabíamos era que ele já tinha namorada antes da minha irmã.A garota ficou furiosa ao saber do”namoro” e quis tomar satisfação,minha irmã por sua vez explicou que no sabia.Nos já conhecíamos a garota que ainda era menor de idade e teve um filho com o namorado anterior e mesmo namorando transava com um colega nosso que contava para todo mundo o caso deles.quando o filho dele soube da discussão foi pedir desculpas a minha irmã e confessou não ter contado que já tinha namorada por que ela não ficaria com ele mas trocaria a namorada por ela,é claro que minha irmã não aceitou.
Enquanto isso eu estava ficando com um amigo do filho do professor, que morava próxima a casa dele. Fui para a cobertura da casa do rapaz e enquanto namorava eu só sabia olhar disfarçadamente a casa do meu amado e sonhar com o dia em que estaria em seus braços.
Numa freada num caso namoro que não valia apena eu novamente fiquei solteira novamente até o dia em que mudei de cidade e nunca mais vi o mor da minha vida, porém aprendi o verdadeiro amor esquecendo a paixão e lembrando dele sempre com muito carinho,respeito e admiração.
Sophya Lispector

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que é ser Pedagogo.

Há algum tempinho que acabei a faculdade de pedagogia, pela qual passei três anos da minha vida tentando entender à psicologia infantil, trabalhei alguns meses em cima da minha monografia, na qual, tinha o tema: A Psicanálise dos Contos de Fadas na Educação Infantil, não foi muito fácil, mais depois de três anos sem ter um pouco de vida pessoal e sem tempo estou aqui formada tentando algo que possa ser útil para minha formação.
Muita duvida tive, ao longo de minha formação, entre ela o papel do professor na vida de seu aluno pela qual reservo um pouco do meu tempo para trabalhar com vocês. Muitos me perguntam se vou lecionar aula, digo que não sei se um dia chegarei a enfrentar uma sala de aula, me perguntam então o porquê fiz o curso de pedagogia, descobri que o curso pelo qual sou formada me reserva muito mais do que uma simples sala de aula.
Voltando ao papel do professor agora sendo Pedagogo, para que e o porquê ter, ser um pedagogo, profissão que necessita de amor, respeito e responsabilidade, tendo como base os quatros pilares da educação: aprender a aprender, aprender a ser, aprender a fazer e aprender a conviver, servindo de base para a pedagogia.
O pedagogo precisa sempre estar atualizado, não se pode formar e estacionar em uma escola hoje ele precisa muito mais do que pegar na mão do aluno e ajudar ele a escrever, tem se como objetivo formar um cidadão críticos capazes de mudar a sociedade pela qual vivemos, tem que estar sempre aprendendo seja com seu aluno, com seu companheiro de trabalho, com a família ou com o amigo, apesar de que estes pilares da educação servem de base para tudo que se tem hoje, umas das causas pela qual a profissão de pedagogo tem aberto novos caminhos.
Ser pedagogo não significa só atuar em escola ou sala de aulas, tem que ser muito mais além, acima de tudo, precisa estar acompanhando tudo a nossa volta a historia muda a cada dia, não deixando para traz nossas raízes mais sim atualizando nossos conhecimentos e aprendendo a cada dia um novo jeito de compreender a vida.
Pedagogo vem de Pedagogia que é a ciência ou disciplina cujo objetivo é a reflexão, ordenação, a sistematização e a crítica do processo educativo, sua palavra tem origem na Grécia antiga, paidós (criança) e agogé (condução). O profissional cuja formação é a Pedagogia, no Brasil é uma graduação da categoria Licenciatura ou Gestão Escolar (administração escolar, orientação pedagógica e coordenação educacional). Devido a sua abrangência, a Pedagogia engloba diversas disciplinas, que podem ser reunidas em três grupos básicos: Disciplinas filosóficas, Disciplinas científicas e Disciplinas técnico-pedagógicas.
Loading...

Minha lista de blogs

e-mail para contato

Entre e me ajudam

Mensagens ao Vivo e Telemensagens

Educar é um ato de amor

http://www.facebook.com/platform

Amazon MP3 Clips

Entre aqui