6 de set de 2012

Segunda Parte:Resumo da vida dos escritores que estão a participar da Feira

Elisa Masselli Nascida em 11/09/1943, Elisa Masselli foi uma criança pobre, mas nunca infeliz. Sua mãe tinha uma teoria que "criança precisava brincar, pois quando crescesse teria uma porção de problemas, e que cabia a mãe o serviço da casa.". Durante sua infância sempre brincou muito. Aos 17 anos, sua irmã, Nair, que lhe criou, entrou em uma profunda depressão até tentar o suicídio por duas vezes. Após várias internações, suicidou-se por enforcamento no chuveiro. Aquilo, para ela, foi a destruição de tudo o que havia aprendido sobre Deus. Porém, logo conheceu um senhor que lhe apresentara o livro Nosso Lar de André Luiz. Como gostava muito de ler, apaixonou-se pela leitura e pelo conteúdo da obra em questão, e afirmou "Comecei a ler, e me apaixonei. Talvez por ser aquilo que eu queria ouvir, que minha irmã, poderia não estar em um bom lugar, mas que não estava sozinha e que a qualquer momento poderia ser resgatada e que teria uma nova chance de reencarnar. Li aquele livro rapidamente e o seu José foi me trazendo toda a coleção dos livros de André Luiz. Quando terminei de ler todos, estava apaixonada por tudo o que havia lido, comecei a freqüentar a Federação Espírita do estado de São Paulo." Em 1964 casa-se com Henrique que faleceu em 1984. "Sofri muito ao ver o sofrimento de meu marido, pois para todos e principalmente para mim, ele não merecia sofrer daquela maneira, mas eu havia aprendido que tudo estava sempre certo e que quem sabia das coisas era Deus, por isso não me desesperei." No ano de 1991,sem saber porque e como, começou a ouvir vozes sendo que uma delas lhe havia dito que teria que escrever romances com ensinamentos. Para a psiquiatria, isso não passava de uma crise psicótica. Após uma fase turbulenta de depressões e dúvidas, teve sozinha a idéia de escrever um livro que começou tomar conta dos seus pensamentos e resolveu escrever só para passar o tempo. Aos poucos a história foi surgindo. "Eu não acreditava que estava escrevendo uma história como aquela. Eu chorava e ria enquanto escrevia. Quando ficou pronta, mandei para a editora de Dona Zibia Gasparetto". Título: Quando o Passado não Passa. Naquele instante lembrou do que a voz havia dito. " Não importa o nome, o que importa é que você escreva.". Assim nasceu a escritora Elisa Masselli. André Neves, formou-se em relações públicas no Recife, mas sua paixão pelas artes o levou ao Rio Grande do Sul, onde atualmente desenvolve atividades relacionadas à literatura infantil e, em especial, à arte de ilustrar imagens para a infância. Entre os prêmios recebidos, contam o Prêmio Luís Jardim, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, Prêmio Jabuti 2003 e o Prêmio Açorianos RS 2004, de melhor ilustração. Em 2002, participou da La Immagini Della Fantasia, mostra internacional de ilustração infantil.
Leo Cunha Leonardo Antunes Cunha (Bocaiúva, 05 de junho de 1966) é um escritor, tradutor e jornalista brasileiro. Publicou mais de 40 livros infantis e juvenis, cinco livros de crônicas e diversas traduções. Obras Pela estrada afora. SP: Atual, 1993. Lições de girafa. BH: Miguilim,1993. O sabiá e a girafa. RJ: Nova Fronteira, 1993. O menino que não mascava chiclê. SP: Paulinas, 1994. Em boca fechada não entra estrela. RJ: Ediouro, 1994. As pilhas fracas do tempo. SP: Atual, 1994. Que bicho mordeu?. RJ: Agir, 1994. O dinossauro (com Marcus Tafuri). RJ: Ediouro, 1995. Conversa pra boy dormir. BH: Dimensão, 1995. Sonho passado a limpo. SP: Ática, 1995. (fora de catálogo) Joselito e seu esporte favorito. RJ: Nova Fronteira,1996. O gato de estimação. SP: Paulinas,1996. O inventor de brincadeiras. BH: Dimensão, 1996. Quase tudo na Arca-de-Noé. SP: Moderna,1996. Debaixo de um tapete voador. RJ: Ediouro, 1997. Nas páginas do Tempo (crônicas). RJ: Nova Fronteira, 1997. (fora de catálogo) Cantigamente. RJ: Ediouro, 1998. Na marca do pênalti. SP: Atual , 1999. Poemas lambuzados. SP: Saraiva, 1999. A menina da varanda. RJ: Record, 2001. Clave de Lua. (livro-CD) SP: Paulinas, 2001. Pão e Circo. SP: Atual, 2002. O macacão espantado. SP: Salamandra, 2003. XXII!! - 22 brincadeiras de linhas e letras. SP: Paulinas, 2003. Manual de desculpas esfarrapadas (crônicas). SP: FTD, 2004. Poemas avoados. SP: Saraiva, 2004. O cavalo alado (com Elias José e Iacyr Anderson). RJ: Zit, 2004. Era uma vez um reino de mentira (com Ricardo Benevides). RJ: Record, 2005. Contos De Grin Golados. BH: Dimensão, 2005. Lápis encantado. SP: Quinteto, 2006. Perdido no ciberespaço. SP: Larousse, 2007. Era uma vez um reino sonolento (com Ricardo Benevides). RJ: Record, 2007. Três Terrores. SP: Atual, 2007. Sorte Grande. SP: FTD, 2007 Viva Voz. Curitiba: Positivo, 2008. Turmas do prédio, da turma e do bairro. Belo Horizonte: Dimensão, 2008. Coleção Clube dos Segredos (com Luiz Antonio Aguiar, Pedro Bandeira, Rogério Barbosa e Rosana Rios). Rio de Janeiro: Galera Record, 2008-2012. Poemas pra ler num pulo. Belo Horizonte: Dimensão, 2009. Vendo poesia. São Paulo: FTD, 2010. Castelos, princesas e babás. Belo Horizonte: Dimensão, 2011. Ninguém me entende nessa casa!. São Paulo: FTD, 2011. Era uma vez à meia-noite. (com Luiz Antonio Aguiar, Pedro Bandeira, Rogério Barbosa e Rosana Rios). Rio de Janeiro: Galera Record, 2011. Num mundo perfeito. São Paulo: Paulinas, 2012. O reino adormecido (teatro). Rio de Janeiro: Record, 2012. Videntes - e outros pitacos no cotidiano. São Paulo, Melhoramentos, 2012. Também já participou em dezenas de coletâneas de contos, crônicas e poemas. Prêmios Recebeu os principais prêmios brasileiros voltados para a literatura infantil: Prêmio Nestlé, Jabuti, João de Barro, FNLIJ, Concurso de Histórias Infantis do Paraná. Diversos de seus livros receberam o selo Altamente Recomendável, da [FNLIJ]]. Como professor de Jornalismo, foi um dos vencedores do projeto Rumos Itaú Cultural, na categoria Jornalismo Cultural, em 2009. Traduções Entre suas traduções e adaptações, destacam-se: A princesa que bocejava o tempo todo, de Carmen Gil. Curitiba: Positivo, 2011. Discurso do urso (Discurso del oso), de Julio Cortázar. Rio de Janeiro: Record, 2009. Rã (Rana), de María Paula Bolanos. Rio de Janeiro: Record, 2007. A megera domada (The taming of a shrew), de William Shakespeare. São Paulo: Escala, 2005 O Saco-de-Pancadas, de Sid Fleischman (The Whipping boy). Rio de Janeiro: Ediouro, 1996. Me dá um beijo (Kus me), de Bart Moeayert. Rio de Janeiro: Ediouro, 1996. Oliver Twist, de Charles Dickens. Belo Horizonte: Dimensão, 1998. Norte (North), de Alan Zweibel. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1994. Jack (Jack), de A.M.Homes. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993. O Maníaco Magee (Maniac Magee), de Jerry Spinelli. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993. Outras atividades É graduado em Jornalismo e Publicidade (PUC-MG), pós-graduado em Literatura Infantil (PUC-MG), Mestre em Ciência da Informação (UFMG) e Doutor em Cinema (UFMG), com tese sobre os heróis cômicos nos filmes do cineasta francês Francis Veber. É colunista da web-revista de cinema "Filmes Polvo", desde 2008. É também professor universitário, no curso de jornalismo do UNI-BH desde 1997 e da pós-graduacão da PUC-MG desde 2000. Já foi jurado em prêmios literários como o Prêmio João-de-Barro, da Prefeitura de Belo Horizonte e o Concurso Literário 30 anos da FNLIJ. É membro fundador da Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (AEI-LIJ), na qual já ocupou o cargo de secretário-geral. É membro do Coletivo 21, grupo de escritores mineiros. Ligações externas Site oficial do escritor Revista de Cinema Filmes Polvo Twitter do escritor Página do escritor no Facebook AEI-LIJ Coletivo 21
Escritora Léia Cassol Nasceu no Paraná/PR em 1974, mas mora em Porto Alegre há 18 anos. Entrou no universo da literatura pelas histórias que o pai lhe contava, quando era bem pequena. Depois, quando foi para a escola, encontrou uma professora que a encantou com as histórias que estavam nos livros. Veio morar em Porto Alegre e começou a trabalhar em editora. Mais tarde trabalhou fazendo feiras em escolas e alguns eventos. Ganhou dois prêmios de destaque cultural na Semana Farroupilha, em 2006 e 2007. E nos anos de 2007 e 2008, ganhou o prêmio de destaque expositor da área infanto-juvenil, da Feira do Livro de Porto Alegre. Léia Cassol é a idealizadora da Editora Cassol e de seus projetos lúdico-pedagógicos. É contadora de histórias, escritora de literatura infantil, infantojuvenil, tem publicado mais de 20 obras . http://www.editoracassol.com/index.htm www.leiacassol.blogspot.com. ------------------------------------------------------------------------------------ Algumas das Obras / Léia Cassol Título: UM DIA ESPECIAL - Descobrindo Porto Alegre Autor: Léia Cassol e Marília Pirillo (ilustrações) Sinopse: Fernanda tem nove anos e está muito triste porque sua melhor amiga, a Bibi, mudou-se para outro bairro. E para piorar a situação, seu novo vizinho é o Beto, um guri de dez anos, que veio de Minas Gerais e vive fazendo perguntas. E agora, para quem a Fé vai contar os segredos dela? E o Beto? Será que ele vai conseguir fazer novos amigos em Porto Alegre? Título: UM ANO ESPECIALc/ Livro dos Símbolos Gaúchos Autor: Léia Cassol e Marília Pirillo (ilustrações) Sinopse: Ah, quarta série! Quantas coisas a gente descobre na quarta série. E pode apostar que com o Beto e Fé não está sendo diferente. Escola, amigos, viagens, lugares diferentes, festas... O Beto é novo na escola. Será que ele está gostando? E a Fernanda... Ah, a Fernanda! Essa menina está pensando muito... E pensando em coisas que ela nunca tinha pensado! Coisas diferentes... Que estão mexendo com a cabeça e balançando o coração dela! Título: UM QUERO-QUERO ME CONTOU Autor: Léia Cassol e Carla Pilla (ilustrações) Sinopse: Vocês gostam de histórias? Eu adoooooooooro história, e é ainda melhor quando são lendas. Lendas são histórias que o povo conta, uns dizem que aconteceu, outros dizem que é invenção. Mas, na verdade, ninguém sabe se realmente não é mentira... Então, sempre fica um ar de mistério. Esse livro tem muitas lendas, que estão prontas para serem lidas e saírem criando dúvidas e medos por aí.

Resumo de vida dos escritores da Feira de Livro de Torres

Certa vez, contando um sonho a um amigo ele falou: Rosinha, que engraçado, você sonha por imagens. Essa era a época em que eu estava mudando o rumo da minha vida com todas as dúvidas de quem passa por transições tem. Sou arquiteta, tinha um escritório com uma amiga e me apaixonei perdidamente pela literatura para crianças e jovens. Depois dessas palavras, tive a certeza de que meu caminho era esse. Segui em frente. Fui conhecer a Feira de Bolonha, fiz uma especialização em literatura infantil e juvenil, fui votante da FNLIJ e estudei desenho com um artista japonês maravilhoso. Shangui foi um grande mestre. Disciplina, perseverança e simplicidade foram seus ensinamentos mais preciosos. Poder viver essa paixão é um privilégio. Adoro ilustrar, dar aula de literatura infantil e juvenil, ir às bienais, feiras e salão do livro, encontrar os amigos ilustradores e escritores. Mas o que mais me deixa feliz é ver as crianças com livros na mão. Por isso, às imagens dos meus sonhos estão se somando as palavras. Contar histórias por imagens me trouxe, naturalmente, o desejo de contá-las também por palavras. Daí meu primeiro livro como escritora, Esmeralda, começar com um sonho. Sonhar é bom demais. O sonho é a matéria-prima da realidade. Costumo transformar os meus em imagens, na minha cabeça, e em palavras, no meu caderno, e, com o tempo, grande parte se realiza. E foram vários sonhos realizados: três filhos lindos, uma casa gostosa em Olinda, amigos afetuosos e livros. São muitos os livros que ainda sonho em fazer: só de imagem, com imagens e palavras, só de palavras, com muitas histórias e sonhos. Espero ter fôlego suficiente para realizá-los! Para conhecer mais sobre seu trabalho, visite: http://rosinhanaeslovaquia.blogspot.com ou www.rosinhailustra.com.br. Telma nasceu em Marília, São Paulo, e reside em Campinas há muitos anos. É formada em "Letras Vernáculas e Inglês" pela UNESP. Professora Efetiva de Inglês, aprovada em Concurso Público Oficial do Estado de São Paulo em 1979, lecionou na rede estadual de ensino em Campinas, São Paulo até 1995, quando decidiu dedicar-se somente a literatura infantil e juvenil. Foi cronista do jornal "Correio Popular" e também Assessora Cultural na Delegacia Regional de Cultura de Campinas. Publicou seus primeiros livros infantis em agosto de 1988 ("Cara de Pai", Loyola, "O sopão da Bruxaluca" e "A Tarta-luga", Vozes). Em 1989 recebeu da APCA o título de "Melhor Autora em Literatura Infantil" com seu livro "Mago Bitu Fadolento", Edições Loyola. Telma já publicou mais de 150 títulos entre infantis, juvenis, em Português, Inglês e Espanhol, por várias editoras: FTD, Quinteto, Atual, Formato, Saraiva, Scipione, Ática, Larousse do Brasil, Escala Educacional, Editora do Brasil , SM, Moderna, Dimensão, Positivo, IBEP-Nacional, Paulus, entre outras. É também co-autora de livros juvenis com Celso Antunes, Teresa Noronha, Júlio Emílio Braz. Por ter sido aluna "exchange" nos Estados Unidos, lecionado no Centro Cultural Brasil-Estados Unidos em Marília, São Paulo, e possuir o "Operational Competence in English"-Southern Illinois University, resolveu também dedicar-se aos paradidáticos de Inglês. É autora de dicionário bilíngüe Português/Inglês, Inglês/Português em co-autoria com Terrence Edward Hill (Dicionário Ilustrado Júnior, Atual Editora) e da coleção bilíngue “biclássicos”, pela Editora do Brasil. A palestra Telma contou um pouco sobre sua infância e de como os livros sempre estiveram presentes em sua vida. Falar sobre o início de sua caminhada até os mais de cem títulos publicados rendeu a oportunidade de desenvolver uma palestra valiosa para educadores, estudantes, escritores anônimos e leitores de todas as idades. Por isso nós estivemos por lá pensando nos nossos alunos-autores, os quais se valerão destas dicas preciosas tanto quanto nós. Através de slides, Telma apresentou frases e gravuras interessantes para ilustrar a suada escalada rumo ao primeiro livro impresso. Foram 24 respostas negativas até o primeiro sim e a enxurrada de trabalhos que se seguiram. Mas de onde surgem as ideias? > dos próprios livros; > personagens (quando o autor já morreu há mais de 70 anos); > filmes e novelas; > notícia de jornal. Telma afirma que "você deve ter uma câmera fotográfica no olhar e um flash drive no coração", armazenando tudo o que capta ao seu redor de forma delicada para sim, exagerar depois: "Todo escritor é um exagerado", a autora diz. A escritora veterana sugeriu aos aspirantes à carreira que mantenham uma pasta de pesquisa com textos, recortes, rascunhos, fotos e gravuras, todos separados por temática para fácil localização. Seja em versão digital ou física a ideia é manter registro de suas pesquisas para imediata e posterior consulta, assim você tem dados para seus textos atuais e aqueles que virá a criar. O livro é um quebra-cabeças e nem sempre todas as peças são colocadas numa ordem que faça sentido à primeira vista, às vezes os enredos vão se encaixando no decorrer do trabalho.  Aline Nardi, Nicolle e a escritora Telma Guimarães Em nossa escola existem alguns alunos que se dedicam às suas próprias histórias. Dois deles estão no 9º ano e estão em avançados capítulos de seus respectivos primeiros romances (por motivos de privacidade não mencionamos os nomes deles bem como detalhes de suas histórias, mas futuramente faremos um artigo especial sobre o assunto). Se a leitura é um processo importante na formação do intelecto do indivíduo, o que dizer do escritor? O aluno que se interessa em narrar as aventuras que sua imaginação inventa adentra num caminho divertido, porém muito árduo. Primeiramente deve frequentar a biblioteca de sua escola na mesma (ou maior) frequência com que vai ao banheiro - não é exagero! Isso vale para a biblioteca da sua casa, do vizinho, do bairro, da igreja ou bancas de jornal, revistas da sala de espera do dentista, gibis no revisteiro do banheiro etc. Ser um leitor compulsivo é um possível sintoma de que um escritor está se formando. Obviamente que isso não é via de regra, mas nunca vimos um escritor que não leia muito, você já viu? Depois, deve anotar tudo o que vê, ouve, sente ou pensa. Uma ideia surge das formas mais inesperadas e nem sempre você estará sentado sobre seu caderno de anotações, então tenha um sempre à mão (ou bloco de notas, guardanapos, papel higiênico...). Procure seu professor de português, bata bapo com bibliotecários, troque ideias com seus colegas de classe, pesquise na internet os meios para você publicar sua história, só não vale desistir! Você não precisa publicar para finalmente se considerar escritor, você já o é quando imagina e empunha a caneta.
asci em SP numa família de artistas de todos os sabores; livreiros, pintores e músicos no meio daquela cidade barulhenta, uma confusão. Me formei em Comunicação Visual e segui para Londres onde estudei Graphic Design e Multi Media pelo Westminster Institute e Ilustração pelo Chelsea College of Art, mais cultura, mais barulho, confusão e um monte de gente. Voltei a São Paulo, me formei em cenografia, figurino e indumentárias pelo CPT – SESC e Produção Gráfica no SENAC-SP. Poluição e aaaaaaaaahhhhhhhhhh, muito barulho. Descemos até o Sul, eu e o maridão e nos escondemos em Sto. Antônio da Patrulha - RS. Está até no mapa. No sítio a família está aumentando: a Rafaella, a Nina, a gata, as éguas, as ovelhas, os carneiros, as cabras, os lagartos, as tartarugas, as codornas, as galinhas e nem sei mais quem. Escrevi e ilustrei as seguintes obras: Livro de minha autoria: “Acorda o Sol, Don Aderbal”, editora Autêntica, 2010 Livros de autoria e ilustrações minhas “Peixinhos”, editora Formato 2008 “1, 2, 3 da Bicharada”, editora Studio Nobel, 2002 “A B C da Bicharada”, 2ª edição, editora Studio Nobel, 1999 “O rapto das Flores Cantantes”, editora Paulinas, 1997 (esgotado) “O Crocodilo Gigante e a Mosca que não era dessa história”, o Estadinho, 1996 - SP “À procura da Máscara”, editora Loyola, 1994 Livros ilustrados por mim: “as meninas da janela”, de Jonara Nifa, 2010 “Outras fábulas”, coleção do projeto Livro Livre, texto de Cristina Marques 2010 “Áudiolivros: a cultura da inclusão” narração de obras literárias por Letícia Schwartz (capas dos encartes dos cds) 2010 “jogos de inventar, cantar e dançar, texto de Viviane Juguero, ed. Livreto 2010 Capas dos cadernos do col Objetivo (2009) “Minicontado”, texto de Ana Melo, 2009 (capa) 2009 “Viver e aprender português de 1º ao 5º ano” editora Saraiva, 2007 (didático) “A Menina que descobriu a Noite”, editora Ícone, 2001: texto de Pámela Duncan “A velhinha que mudou o tempo”, editora Paulinas, 1996: texto de Juciara Rodrigues “Português Palavra e Arte”, editora Atual, 1996 (didático) Capas de revistas “O Hebreu”e “Beit Chabad”, 1996 – SP Desenvolvo pequenas animações e faço bonecos para contar histórias. Participo de feiras de livros e projetos de leitura no Rio Grande do Sul e em São Paulo. Desenvolvo projetos de incentivo à leitura em municípios do interior como o "Semear em Glorinha" em Glorinha - RS e "Arquipélago - de Atlantis a Açores" na APAE de Sto. Antônio da Patrula - RS. Recebi o prêmio de melhor figurino de teatro amador com o espetáculo “O Flato ou a Comédia da Vida Privada” 1999 e melhor animação pelo Prêmio Gaúcho de Arte Eletrônica 2008. É associada da AEI-LIJ (Associação dos Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil) e da ABIPRO (Associação brasileira dos ilustradores profissionais).
Mudou-se para o Rio de Janeiro, para uma vila no bairro da Tijuca, em 1986, disposta a seguir a carreira de atriz. Trabalhou em algumas peças, como Rosa, um Musical Brasileiro, sob direção de Domingos de Oliveira, e Bukowski, Bicho Solto no Mundo, sob direção de Ticiana Studart. Integrou o elenco do filme A Causa Secreta, de Sérgio Bianchi. Seu primeiro trabalho na televisão foi na telenovela Kananga do Japão, em 1989, na extinta TV Manchete. Fez várias apresentações teatrais, com declamação de seus poemas, e algumas com a participação especial de Paulo José. No mesmo formato apresentou em seguida Euteamo Semelhante. Acredita no poema vivo pela declamação, tanto que criou uma associação no Rio de Janeiro de estudo de declamação que promove saraus. Em 2010, a atriz foi agraciada com o "Trofeu Raça Negra 2010" pelo sua contribuição à cultura brasileira. O evento solene ocorreu na Sala São Paulo, uma das mais modernas e luxuosas da América Latina.[1] Em 2011, a poetisa foi entrevistada no programa online "Filossofá - Desertores do Cotidiano", gravado em um sofá, em cima das dunas de Itaúnas, no Espírito Santo. Itaúnas é o lugar em que Elisa passa as férias e que mantém uma "casa-poema". Em 2012, será homenageada pela escola de samba Independentes de Boa Vista, do Carnaval de Vitória. sendo esta escola localizada no município, onde nasceu (Cariacica)[2]. Carreira artística Livros A Menina Transparente Euteamo e suas estréias O Semelhante Coleção Amigo Oculto (trilogia infantil). Contos de Vista A Fúria da Beleza (2006) Lili a rainha das escolhas Parem de Falar Mal da Rotina(2010) CDs de poesias Semelhante - sob o selo da gravadora Rob Digital Euteamo e suas Estréias - sob o selo da gravadora Rob Digital Notícias de Mim, com poemas da poeta paulista Sandra Falcone, participação de Miguel Falabella, direção e produção de Gerson Steves. O CD é resultado do espetáculo homônimo com roteiro e direção de Steves. Televisão Telenovelas 2012 - Aquele Beijo .... Diva[3] 2011 - Insensato Coração .... Vilma 2009 - Viver a Vida .... Rita 2006 - Páginas da Vida .... Selma 2003 - Mulheres Apaixonadas .... Pérola 1995 - Sangue do Meu Sangue .... Beatriz 1990 - Araponga 1990 - Escrava Anastácia.... Ermelinda (Yatunji) 1989 - Kananga do Japão .... Sueli Séries 1997 - Você Decide - episódio: Preconceito Cinema 1990 - Barrela: Escola de Crimes 1994 - A Causa Secreta [4] 1997 - O Testamento do Senhor Napumoceno .... Dona Jóia 2001 - A Morte da Mulata 2002 - Seja o que Deus Quiser 2003 - As Alegres Comadres .... Mrs. Rocha 2003 - Gregório de Matos

Feira de Livro 2012

Feira do Livro
Essa semana esta acontecer na cidade de Torres o 12º Feira do Livro. E alem de incentivar a leitura, as pessoas podem ter acesso aos escritores que ali estão a passar. Os escritores que ali estiveram foram: Rosinha Campos, André Neves ,Duda falcão e Cesar Alcazar, Telma Guimarães, Monica Papesku,Leila cassol e Humberto Gessinger. E que ainda irão passara, serão Leo Cunha , Caio Riter,Carlos Henrique Lotti, Elisa Luncida,Celso Sisto,Dilan Camarg. E alem das oficinas que estão acontecer com a participação do Sesc, Senac, e o Yázigi. Cada escritores comentarão de suas obras, cada coloca os seus pontos de vista, alem da participação da pessoas que ali vivem. É através desses incentivos que criamos novos leitores, e também é fazendo com que as pessoas investigue dos escritores seus conhecimento daí que acontece das pessoas querer saber mais e mais. No terceiro dia de Feira foi de movimentação perante os fãs do Engenheiro do Hawaii, pois Humberto Gessinger é um Gaucho que alem de escritor, é vocalista, pianista e baxista , fundou a banda Engenheiros do Hawaii. E as pessoas ali presente ficaram apreciando a sua história. E do bate papo com Humberto ele colocou a sua paixão alem da musica e também a sua paixão pela a escrita. As suas obras publicadas são: Meu pequeno Gremista (2008), Pra Ser Sincero(2009) e mapa do Acaso (2011. E recentemente esta a lançar o livro de crônicas “ Nas Entrelinhas do Horozonte.

O que é ser Pedagogo.

Há algum tempinho que acabei a faculdade de pedagogia, pela qual passei três anos da minha vida tentando entender à psicologia infantil, trabalhei alguns meses em cima da minha monografia, na qual, tinha o tema: A Psicanálise dos Contos de Fadas na Educação Infantil, não foi muito fácil, mais depois de três anos sem ter um pouco de vida pessoal e sem tempo estou aqui formada tentando algo que possa ser útil para minha formação.
Muita duvida tive, ao longo de minha formação, entre ela o papel do professor na vida de seu aluno pela qual reservo um pouco do meu tempo para trabalhar com vocês. Muitos me perguntam se vou lecionar aula, digo que não sei se um dia chegarei a enfrentar uma sala de aula, me perguntam então o porquê fiz o curso de pedagogia, descobri que o curso pelo qual sou formada me reserva muito mais do que uma simples sala de aula.
Voltando ao papel do professor agora sendo Pedagogo, para que e o porquê ter, ser um pedagogo, profissão que necessita de amor, respeito e responsabilidade, tendo como base os quatros pilares da educação: aprender a aprender, aprender a ser, aprender a fazer e aprender a conviver, servindo de base para a pedagogia.
O pedagogo precisa sempre estar atualizado, não se pode formar e estacionar em uma escola hoje ele precisa muito mais do que pegar na mão do aluno e ajudar ele a escrever, tem se como objetivo formar um cidadão críticos capazes de mudar a sociedade pela qual vivemos, tem que estar sempre aprendendo seja com seu aluno, com seu companheiro de trabalho, com a família ou com o amigo, apesar de que estes pilares da educação servem de base para tudo que se tem hoje, umas das causas pela qual a profissão de pedagogo tem aberto novos caminhos.
Ser pedagogo não significa só atuar em escola ou sala de aulas, tem que ser muito mais além, acima de tudo, precisa estar acompanhando tudo a nossa volta a historia muda a cada dia, não deixando para traz nossas raízes mais sim atualizando nossos conhecimentos e aprendendo a cada dia um novo jeito de compreender a vida.
Pedagogo vem de Pedagogia que é a ciência ou disciplina cujo objetivo é a reflexão, ordenação, a sistematização e a crítica do processo educativo, sua palavra tem origem na Grécia antiga, paidós (criança) e agogé (condução). O profissional cuja formação é a Pedagogia, no Brasil é uma graduação da categoria Licenciatura ou Gestão Escolar (administração escolar, orientação pedagógica e coordenação educacional). Devido a sua abrangência, a Pedagogia engloba diversas disciplinas, que podem ser reunidas em três grupos básicos: Disciplinas filosóficas, Disciplinas científicas e Disciplinas técnico-pedagógicas.
Loading...

Minha lista de blogs

e-mail para contato

Entre e me ajudam

Mensagens ao Vivo e Telemensagens

Educar é um ato de amor

http://www.facebook.com/platform

Entre aqui